Causos do cotidiano contados por mim mesmo

segunda-feira, abril 14, 2008

Saiba agir em caso de sequestro

Eu não desejo isso pra ninguém, mas na hipótese de você ter algum membro (ui!) da família sequestrado, vou dar uma dica importante do que NÃO se deve fazer.

Eu nunca passei por situação parecida, graças a Deus, mas já presenciei alguns casos (reais e fictícios) e sei que uma das coisas mais usuais quando se coloca a polícia na jogada é tentar adiar o pagamento do resgate enquanto os profissionais investigam e tentam libertar o refém sem a necessidade do pagamento.

Até aí beleza, já que ninguém quer ficar gastando fortunas para resgatar a sogra, mas por algum motivo que você ainda não conseguiu entender, sua esposa gosta da mãe dela e você tem que fazer um agrado pra patroa.

Uma tática muito usada nos casos de atrasos de pagamento é pedir um prova de que a pessoa está viva e é aí que mora o perigo. Se você pede isso, eles começam a mandar PEDAÇOS do refém, o que não é legal, já que a prova de vida que eles dão é começar a matar a pessoa. É útil no caso da sogra, mas se por algum motivo os policiais conseguirem resgatá-la quando os sequestradores tiverem enviado duas mãos, o nariz e um pé, você vai ter que aturar a sogra na sua casa, já que ela vai precisar de alguém pra cuidar dela. Se pelo menos eles mandassem a língua...

Sendo assim, quando tiver alguém da família sequestrado (nessas horas dou graças por ser pobre), ou pague a porcaria do resgaste logo ou mande matar a pessoa, mas nunca, eu disse NUNCA peça a prova de que a pessoa está viva.

Esse foi mais um post de utilidade pública do Causos e Cousas.

Marcas Technorati:



blog comments powered by Disqus